Olá

Decidi escrever o Blog por achar, como todos que escrevem, que alguém se interessará em ler o que escrevo.

Espero que algo aqui lhe seja últi.

A vida é para ser vivida e o que pudermos aprender para melhorar nossa vivência, melhor.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Falando a verdade


Fiquei tocado hoje pelo vídeo abaixo:


video


O vídeo, num breve resumo:
No primeiro momento, o pedindo de ajuda narrava a situação do homem, cego, e pedia uma ajuda. Simples , direto, sem rodeios. Obtinha, lá e cá, algumas moedas dos transeuntes.

No segundo , focava sobre o dia, lindo, depois informava que o homem não podia vê-lo. E nada pedia. Mas, a despeito de não pedir nada, era este segundo pedido muito mais efetivo que o primeiro.

(para quem não conhece o poder do Marketing, está aí um bom exemplo...)

É um vídeo, portanto não necessariamente real, mas, na minha opinião, muito plausível que assim teria acontecido se real fosse.

Diamantes são lindos. Se um deles for dado, preso a um anel, numa caixinha aveludada, terá muitas possibilidades de obter uma resposta SIM, e um feliz casamento deverá acontecer. Se for simplesmente jogado na direção da futura esposa, assim como coisa de somenos, talvez ela não venha mais a ser a futura esposa. Ou não, e se case com o rapaz, mas tal pedido de casamento, abrupto, será uma frustração guardada no coração.Em geral, as mulheres esperam que este momento seja cheio de carinho.


A partir destas pequenas considerações, e eu poderia ficar dando mais exemplos,  perceba como que é relevante a forma como um determinado conteúdo é passado. A forma é determinante para que o conteúdo seja bem assimilado.

Conheço pessoas , e não são poucas aquelas que são assim, que tem orgulho de dizer a verdade. Eu também gosto de dizer a verdade, claro. Mas as pessoas a quem me refiro gostam de dizer a verdade com uma qualidade , uma forma particular: elas dizem a verdade de forma ofensiva, taxativa, agressiva. Orgulham-se de seu conteúdo e negam ou ignoram o valor da forma na transmissão de uma mensagem. Em geral, são pessoas com dificuldade de se articular amorosamente com outras pessoas. A grosseria lhes é gratuita e comum. E, quando tem uma verdade para falar, ancoradas no fato de que o que irão falar é a mais pura verdade e que a verdade precisa ser dita, destilam toda aquela dificuldade sobre o ouvinte. 

Conheço outras que não são assim grosseiras, mas apenas insensíveis. Dizem ao fulano que a esposa morreu como quem comenta da chuva de ontem. O olhar que elas tem sobre o outro não lhes infunde misericórdia ou empatia. Em geral pensam que "o outro precisa saber disso, vou contar, contei, pronto, tarefa cumprida". O pobre ouvinte recebe o conteúdo de forma ruim, despreparadamente e dói muito mais que o necessário. 

O sucesso da transmissão de um conteúdo é mediado pela sua forma.

Pense nisso. Além de falar, organize a fala.


Falar a verdade sim. Joga-lá não.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Aos juvenis, jovens e casados, principalmente.
http://www.youtube.com/watch?v=axUC5t2OFQ0 

Somos humanos e relacionais. Desligue. Fale conversando. Se emocione com gentes. Troque olhares e sentimentos. Ame e odeie. Até fale mal mas fale de alguém, não de um aplicativo cibernético. Sinta o doce aroma do perfume. Guarde lembranças de almas. Viva, não deixe a vida passar. 

"OnLine" não é vida, é escravidão voluntária. Cuidado com a FOMOhttp://deutilt.com.br/tecnologia/fear-of-missing-out-fomo-a-sindrome-da-era-digital-e-midias-sociais/

Seja esperto. Seja social ao vivo. Desligue.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Ateu ou contra-fé ?

Ateu é uma coisa - ativista contra igreja é outra

Algumas pessoas são visceralmente contra a religião pois entendem que na igreja há enganação e roubo.Afirmo que há mais por de trás desta explicação simplista. 

Para mim, em muitas destas pessoas há uma crença espiritual contida. E a sua razão pessoal, o lado racional do indivíduo, influenciada pelo racionalismo moderno, não permite esta crença pessoal de se expressar. 

Se fosse para ser contra lugares onde há enganação e roubo há muitos outros lugares para se travar lutas deste tipo. 

No futebol - por exemplo - há muito disso (não estou dizendo para pararem o futebol, apenas afirmo que lá também há do mesmo que - supostamente - há nas igrejas). E vejam que os torcedores do futebol vão aos jogos e saem frequentemente para se agredir . 

Alguém já ouviu de uma família, ou um filho drogado, ou um presidiário, ou um casamento, ou uma vida recuperada pelo gol do atacante. Eu já ouvi isso na igreja. 

Acabar com a igreja é acabar com um dos elementos sociais mais poderosos da humanidade e cujo resultado é muito bom. 

A igreja é bênção.